Trabalhos aprovados

TRABALHOS SELECIONADOS PARA APRESENTAÇÃO NO DIA 17/03
PERÍODO DE AVALIAÇÃO 10:00 – 11:00
EIXO: FUNCIONALIDADE E NEUROCIÊNCIA
417 COMPARAÇÃO DO DESEMPENHO MOTOR ENTRE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS CIRÚRGICOS E CLÍNICOS EM UMA UTI NEONATAL DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
439 ANÁLISE DO EFEITO DA TERAPIA VIRTUAL NO EQUILÍBRIO DE INDIVÍDUOS PÓS-AVC
459 RELAÇÃO ENTRE CONTROLE DE TRONCO E FUNCIONALIDADE EM PACIENTES COM DISTROFIA MUSCULAR DE DUCHENNE
471 FUNCIONALIDADE EM LONGEVOS INTERNADOS PARA COLONOSCOPIA NUM HOSPITAL TERCIÁRIO
421 CINEMÁTICA ANGULAR DA DORSIFLEXÃO APÓS TREINOS COM ÓRTESE DINÂMICA E ELÉTRICA EM UM PACIENTE COM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO.
422 COMPARAÇÃO DA PONTUAÇÃO OBTIDA POR VIDEOGAME COM VARIÁVEIS BIOMECÂNICAS EM PACIENTES COM AVC
423 ANÁLISE CINEMÁTICA DA MARCHA DE UM PACIENTE COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL COMPARANDO ÓRTESE ELÉTRICA E DINÂMICA
424 CORRELAÇÃO DA PONTUAÇÃO EM JOGOS DE EQUILÍBRIO DO VIDEOGAME NINTENDO WII COM A PONTUAÇÃO DAS ESCALAS DE BERG EM PACIENTE PÓS AVE
426 ANÁLISE DA POTÊNCIA NO PRÉ-BALANÇO DA MARCHA APÓS TREINO COM ÓRTESE ELÉTRICA E DINÂMICA EM UM PACIENTE COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
432 ESTIMULAÇÃO MOTORA OU SENSORIAL NO TRATAMENTO DE PACIENTE COM ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL?
434 HEMODINAMICA ENCEFALICA APOS ACIDENTE VASCULAR ENCEFALICO: COMO AUXILIAR A ABORDAGEM FISIOTERAPEUTICA?
448 Ressonância Magnética Funcional em pacientes com lombalgia mecânica comum crônica e reivindicações trabalhistas.
456 OS EFEITOS DA ESTIMULAÇÃO MOTORA NOS SINTOMAS DE CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE
386 Influência da Ingestão Crônica de Álcool Sobre as Funções Motoras do Indivíduo
469 INSTRUMENTOS CLÍNICO FUNCIONAIS E QUESTIONÁRIOS APLICADOS NA HOSPITALIZAÇÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DO RISCO DE QUEDAS EM IDOSOS
   
EIXO: FUNCIONALIDADE EM ORTOPEDIA, TRAUMATOLOGIA E ESPORTE
401 CARACTERIZAÇÃO DO TRAUMA ORTOPÉDICO NUM AMBULATORIO DE FISIOTERAPIA ESPECIALIZADO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA
453 LESÕES MUSCULOESQUELÉTICAS EM ATLETAS DO GÊNERO FEMININO PRATICANTES DE PATINAÇÃO ARTÍSTICA NA MODALIDADE LIVRE
486 EFEITOS DO COMPOSTO DE SULFATO DE GLICOSAMINA E SULFATO DE CONDROITINA E/OU DA LLLT NA CARTILAGEM ARTICULAR EM MODELO DE TRANSECÇÃO DO LCA EM RATOS
404 AMPLITUDE DE MOVIMENTO ROTACIONAL DO OMBRO E VELOCIDADE DO SAQUE EM ATLETAS DE VOLEIBOL: UM ESTUDO TRANSVERSAL
490 COMPARAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES COM HÉRNIA DE DISCO LOMBAR PRATICANTES DO MÉTODO PILATES E FISIOTERAPIA CONVENCIONAL
418 DOR E FUNCIONALIDADE DE PACIENTES COM HÉRNIA DE DISCO LOMBAR PRATICANTES DO MÉTODO PILATES
452 RELAÇÃO ENTRE DOR LOMBAR CRÔNICA E OS MÚSCULOS DA RESPIRAÇÃO: UMA REVISÃO DE LITERATURA
491 A EFICÁCIA DA DANÇA COMO INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM PACIENTES COM DOR LOMBAR
   
EIXO: FISIOTERAPEUTA GESTOR
427 Perfil Epidemiológico e Atuação da Fisioterapia nos Pacientes Internados de Longa Permanência
443 COACHING COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LÍDERES E EQUIPE NA RELAÇÃO DE TRABALHO
444 O USO DA TÉCNICA DE BRAINSTORMING PARA AVALIAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO ASSISTENCIAL DA DIVISÃO DE FISIOTERAPIA DO ICHC
467 ANÁLISE DO PROCESSO DE EXTUBAÇÃO DE UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) DE HOSPITAL PÚBLICO, GERAL E DE ENSINO DA CIDADE DE SÃO PAULO.
485 IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO DE RISCO NAS UTI?S DE UM HOSPITAL PÚBLICO TERCIÁRIO ? A EXPERIÊNCIA DA DIVISÃO DE FISIOTERAPIA
474 COMPARAÇÃO DE CUSTOS NOS PROCESSOS DE DISPONIBILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE TERAPIA RESPIRATÓRIA EM UM HOSPITAL PÚBLICO
397 PERFIL DOS PACIENTES ENCAMINHADOS AO AMBULATÓRIO DE FISIOTERAPIA DO IOT-HCFMUSP – ESTUDO PRELIMINAR
   
INSTRUÇÕES PARA TRABALHOS APROVADOS – MODALIDADE PÔSTER
   
1 O pôster deverá ter as dimensões de 1,20 m de altura por 0,80 m de largura ou outra a definir no orçamento. O pôster deve estar provido de estrutura na borda superior e inferior para que possa ser pendurado em pedestal disponibilizado pelo Congresso.
2 O título deverá ser o mesmo utilizado no resumo e ser escrito em letras maiúsculas que permitam boa leitura à distância de 1,5 metros.
3 O texto deverá conter as mesmas informações do resumo.
4 Recomenda-se utilizar ilustrações, gráficos e fotografias que facilitem comunicação visual.
5 O dia e horário da apresentação, da colocação e da retirada dos pôsteres serão divulgados previamente no site do evento, sendo de responsabilidade dos autores sua colocação e retirada.
6 O autor apresentador deverá permanecer no local (junto ao pôster), no dia e hora pré-determinados pela Comissão Científica para apresentação, discussões e esclarecimentos.
7 Tempo máximo para apresentação do pôster: 03 minutos para cada trabalho.
8 O pôster deve ser colocado para exposição no local destinado às 08:00.
9 O pôster só poderá ser retirado ao final do evento, às 18:00.
10 Os 10 melhores trabalhos serão premiados no dia 18/03 das 15:00 – 16:00.
   
INSTRUÇÕES PARA TRABALHOS APROVADOS – MODALIDADE PÔSTER
   
1 Após o Congresso será conferido certificado do trabalho aprovado ao autor responsável pela submissão.

CERTIFICADOS
Após o Congresso será conferido certificado do trabalho aprovado ao autor responsável pela submissão.

TRABALHOS SELECIONADOS PARA APRESENTAÇÃO NO DIA 18/03
PERÍODO DE AVALIAÇÃO 09:30 – 11:00
EIXO: FISIOTERAPIA CARDIORRESPIRATÓRIA
405 OS EFEITOS DO TREINAMENTO RESISTIDO PARA PACIENTES CARDIOPATAS
413 EFICÁCIA E SEGURANÇA DO USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA COM MANOBRA DE RECRUTAMENTO ALVEOLAR NO PÓS-OPERTÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
415 INFLUÊNCIA DA ASSISTÊNCIA DE FISIOTERAPIA EM PERÍODO INTEGRAL E TERAPIA INTENSIVA NEONATAL
416 EFEITOS DAS POSIÇÕES PRONO E SEMI PRONO EM RN PREMATUROS EM RESPIRAÇÃO ESPONTÂNEA
431 EFEITOS DA ELETROESTIMULAÇÃO ASSOCIADA À MOVIMENTAÇÃO ATIVA DE MEMBROS INFERIORES EM CICLOERGOMETRO EM PACIENTES DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
450 JUSTIFICATIVAS PARA INCLUSÃO DO FISIOTERAPEUTA NA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UMA UNIDADE DE EMERGÊNCIA
455 INTERNAÇÕES POR SEPSE NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL GERAL PÚBLICO DA GRANDE SÃO PAULO NO 1º TRIMESTRE DE 2015
458 INTERNAÇÕES POR INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL GERAL PÚBLICO DA GRANDE SÃO PAULO NO 1º TRIMESTRE DE 2015
461 ANÁLISE DO PICO DE FLUXO EXPIRATÓRIO NA VIBROCOMPRESSÃO EM PACIENTES EM USO DE VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA
462 IMPACTO DE UM PROGRAMA EDUCACIONAL NA PREVENÇÃO DA PNEUMONIA ASSOCIADA A VENTILAÇÃO MECÂNICA (PAV)
479 ESTUDO DA FUNÇÃO AUTONÔMICA DURANTE TESTE DE CAMINHADA DE 6 MINUTOS EM CARDIOPATAS FUMANTES
489 PERFIL DA ASSISTÊNCIA DE FISIOTERAPIA DOS PACIENTES INTERNADOS EM UTI PROVENIENTES DA EMERGÊNCIA REFERENCIADA DE UM HOSPITAL PÚBLICO TERCIÁRIO
477 PROPOSTA DE PROTOCOLO PROFILÁTICO PARA REINTUBAÇÃO COM USO DE TERAPIA DE ALTO FLUXO (TAF)
442 PERFIL TECNOLÓGICO DOS PACIENTES COM FIBROSE CÍSTICA
492 QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇAS SUPURATIVAS NO PRÉ E PÓS-TRANSPLANTE PULMONAR
437 QUALIDADE DE VIDA DOS CUIDADORES DE CRIANÇAS COM FIBROSE CÍSTICA APÓS INALAÇÃO DE TOBRAMICINA PÓ
446 A EFICÁCIA NA IMPLEMENTAÇÃO DO PACOTE ABCDE NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: UMA REVISÃO DA LITERATURA
451 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS INTERNAÇÕES NO VERÃO E INVERNO EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL GERAL PÚBLICO DA GRANDE SÃO PAULO DE 2015
493 Escalas de Avaliação Funcional em Unidades de Terapia Intensiva
   
EIXO: OUTROS
463 DOR NO OMBRO EM IDOSOS E SUA CORRELAÇÃO COM EQUILÍBRIO E QUALIDADE DE VIDA
496 EVOLUÇÃO DA FUNCIONALIDADE DE IDOSOS HOSPITALIZADOS
449 O EFEITO DO TREINAMENTO COM VIDEO GAME NO CONTROLE POSTURAL E EQUILÍBRIO DE IDOSOS
393 Eficácia do tratamento fisioterapêutico no equilíbrio e riscos de quedas em idosos institucionalizados: revisão sistemática.
430 ACELEROMETRIA PODE SER USADA PARA O ESTUDO DO COM E COP MÉDIO-LATERAL NO MONITORAMENTO DO EQUILÍBRIO POSTURAL
454 EDUCAÇÃO EM SAÚDE E EXERCÍCIOS EM GRUPO: ABORDAGEM PARA A QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM OSTEOARTROSE DE JOELHO
   
EIXO: FISIOTERAPIA NAS DISFUNÇÕES DO ASSOALHO PÉLVICO
457 APLICAÇÃO DA ELETROTERAPIA NO NERVO TIBIAL POSTERIOR E CINESIOTERAPIA NO TRATAMENTO DA INCONTINÊNCIA FECAL: ESTUDO PILOTO
480 MAPPING OUT AN INTERDISCIPLINARY FRAMEWORK FOR THE MANAGEMENT OF WOMEN WITH VAGINISMUS
476 BENEFÍCIOS DA ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO PERÍODO PUERPERAL: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
478 DESENVOLVIMENTO DE UM PROGRAMA DE UROTERAPIA PARA CRIANÇAS COM ENURESE NOTURNA
495 TÉCNICAS DE FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DA ENURESE NOTURNA E OUTRAS DISFUNÇÕES MICCIONAIS: REVISÃO SISTEMÁTICA
   
INSTRUÇÕES PARA TRABALHOS APROVADOS – MODALIDADE PÔSTER
   
1 O pôster deverá ter as dimensões de 1,20 m de altura por 0,80 m de largura ou outra a definir no orçamento. O pôster deve estar provido de estrutura na borda superior e inferior para que possa ser pendurado em pedestal disponibilizado pelo Congresso.
2 O título deverá ser o mesmo utilizado no resumo e ser escrito em letras maiúsculas que permitam boa leitura à distância de 1,5 metros.
3 O texto deverá conter as mesmas informações do resumo.
4 Recomenda-se utilizar ilustrações, gráficos e fotografias que facilitem comunicação visual.
5 O dia e horário da apresentação, da colocação e da retirada dos pôsteres serão divulgados previamente no site do evento, sendo de responsabilidade dos autores sua colocação e retirada.
6 O autor apresentador deverá permanecer no local (junto ao pôster), no dia e hora pré-determinados pela Comissão Científica para apresentação, discussões e esclarecimentos.
7 Tempo máximo para apresentação do pôster: 03 minutos para cada trabalho.
8 O pôster deve ser colocado para exposição no local destinado às 08:00.
9 O pôster só poderá ser retirado ao final do evento, às 18:00.
10 Os 10 melhores trabalhos serão premiados no dia 18/03 das 15:00 – 16:00.
   
INSTRUÇÕES PARA TRABALHOS APROVADOS – MODALIDADE PÔSTER
   
1 Após o Congresso será conferido certificado do trabalho aprovado ao autor responsável pela submissão.

CERTIFICADOS
Após o Congresso será conferido certificado do trabalho aprovado ao autor responsável pela submissão.